Gastronomia


Lições do nº 1



 

massimo

No mundo, em qualquer profissão, existem aqueles que se destacam. Que se diferenciam dos demais, seja pela qualidade em seu ofício, seja pela inovação, seja pela posição e atos em relação ao mundo ou então em tudo isso junto.

Massimo Bottura é um desses diferentes. Sou grande fã desse chef, antes mesmo dele chegar ao topo da lista dos “50 best restaurant”.  Sempre gostei dos pratos que Massimo apresentava, mas cada dia mais, Massimo se mostra superior.

Na primeira temporada da série “Chef’s Table” da Netflix, tem um episódio sobre ele. A admiração que eu tinha dele aumentou ainda mais. Sua história é linda, sua visão de gastronomia, sua ação e preocupação com o produtor, sua capacidade de inovação sem deixar de lado a tradição, sua história de superação como empresário. O cara é diferente.

Só que Massimo Bottura não para. Sempre surpreende. O chef vai trazer uma filial de seu restaurante para o Rio de Janeiro, durante os jogos olímpicos. O objetivo? Ajudar a formar jovens e mães em dificuldades. Nas palavras de Massimo “O melhor ingrediente para o futuro é a cultura. A cultura traz conhecimento e mentes abertas. Nós vamos construir uma escola de culinária e um refeitório coletivo no Rio.Algo especial, para que se possa ver como a Itália é, porque a Itália é responsabilidade social. Isso é o que eu sinto, que temos que fazer alguma coisa pelos outros”.

Obrigado chef, sua atitude motiva não só apenas nós cozinheiros. Você é das pessoas diferentes, dos que se destacam. Você é muito mais que o número 1. Um brinde a Massimo Bottura, chef e cidadão.